top of page
  • Foto do escritorCineGRI

BRICS e os desafios da geopolítica



#ParaTodosVerem [Fotografia]: Foto dos cinco representantes dos países do BRICS, lado a lado, de mãos dadas, em pé de frente a um cartaz azul (nele está escrito: XV BRICS SUMMIT - traduzido: décima quinta cúpula do BRICS). Da esquerda para a direita, estão presentes: o presidente do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva (homem branco, vestindo terno e calça azul escuro), o presidente da China, Xi Jinping (homem chinês, vestindo terno e calça pretas), o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa (homem negro, vestindo terno e calça pretas), o primeiro ministro da Índia, Narendra Modi (homem marrom, vestindo um modi kurta branco e um colete preto), o ministro de relações exteriores da Rússia, Sergey Lavrov (homem branco, vestindo terno e calça azul marinho).

Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/articles/c3gz5nzlny5o



BRIC é um acrônimo que se refere aos seguintes países: Brasil, Rússia, Índia e China. Foi criado em 2001 para designar um grupo de países que, neste século, apresentam condições políticas e econômicas para emergirem como novas potências mundiais. Por conta dessa importância e do cenário geopolítico, em 2006, esses países concretizam essa união ao oficializar um espaço de cooperação entre si com objetivo de possibilitar novos acordos que contribuíssem com sua expansão. Sendo que, em 2011, houve a adesão da África do Sul (acrescentando a letra S).


Como consequência dessa aliança, o BRICS se consolida hoje como uma importante associação que tem capacidade de confrontar o poder representado pelos Estados Unidos e Europa, o chamado Norte Global, que ainda exerce enorme influência sobre diversas questões no âmbito internacional. Essa influência pode ocorrer segundo os princípios de Soft Power (“poder brando”) e Hard Power (“poder duro”) e que, com base no trabalho de Joseph Nye (2004), podem ser sintetizados, respectivamente, a partir das seguintes ideias: “atração” e “incentivos ou ameaça”.


Filmes como Rocky IV (Sylvester Stallone, 1985) e A Hora Mais Escura (Kathryn Bigelow, 2012) podem esclarecer bem esses conceitos. O primeiro, por exemplo, ao retratar a luta entre dois boxeadores, deixa implícita uma determinada mensagem que busca exaltar os valores dos Estados Unidos. O personagem principal, Rocky Balboa, é um americano determinado e compreensivo que precisa vencer um rival russo, retratado como insensível e brutal. A ideia de “atração”, nesse caso, está associada à Guerra Fria, pois, em meio a uma luta ideológica, ambas as nações envolvidas nesse conflito usaram propagandas para defender suas ideias. A segunda obra, apesar de também poder ser criticada por exaltar as ações do exército americano na busca pelo líder da organização terrorista al-Qaeda, Osama Bin Laden, exemplifica como funciona o Hard Power: um país, com determinadas ambições, usa de seu poder político e militar para executar ações que ferem a soberania de outro país, utilizando incentivos ou ameaças para atingir os seus objetivos.


E é nesse contexto de conflitos de interesse e busca por domínio que o BRICS apresenta-se como uma alternativa à hegemonia ocidental. Além de agregar cerca de 25,5% do PIB mundial, por abranger grandes territórios (Brasil, Rússia, Índia e China estão entre os 10 maiores do mundo) e uma grande população (são mais de 3 bilhões de pessoas no total), esses cinco países reúnem enormes reservas minerais e energéticas e também possuem um extenso mercado consumidor que está em contínua expansão, conforme se intensificam as negociações que contribuem com o desenvolvimento econômico mútuo.


Por conta da gama de possibilidades de integração e comércio, novos países demonstram interesse de se juntar a esse grupo que fortalece as relações multilaterais e ajuda a garantir uma maior independência em relação ao controle americano e europeu. Assim, nesse ano, foi oficializada a ampliação do BRICS que, a partir de 2024, será composto por: Árabia Saudita, Argentina, Egito, Emirados Árabes Unidos, Etiópia e Irã.


Com essas adições, o grupo passa a representar “uma grande parcela dos recursos naturais do mundo, como 72% dos minerais de terras raras e 42% do petróleo” (CNN Brasil). Dessa maneira, aumenta-se a influência e a relevância do BRICS dentro das relações internacionais, já que os países que o compõem passam a concentrar uma grande parcela de produtos essenciais para o funcionamento das atividades industriais em todo o mundo. Assim, o Sul Global se torna um ponto de mudança importante da ordem de poder mundial que permanece constante desde o fim da Guerra Fria.


Porém, apesar do BRICS proporcionar uma maior aproximação entre os países, com iniciativas que buscam, por exemplo, atenuar problemas ambientais e culturais, também há polêmicas envolvidas nesse processo. Todos os Estados que vão se juntar ao grupo, com exceção da Argentina, são considerados não-livres pela organização Freedom House (BBC News Brasil) e, além disso, a Rússia, em 2022, realizou ataques à Ucrânia que culminaram num conflito que se estende até hoje.


Essas situações, assim como tudo que foi exposto até aqui, revelam os diversos desafios que englobam a geopolítica mundial, que deve ser analisada abarcando sua complexidade, mas sempre sob a ótica da resolução de conflitos, da defesa da soberania, do progresso social e da paz.


Hugo Freitas Moura - graduando em Ciências Sociais pela FFLCH-USP.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:


ALMEIDA, Allan D.; MOREIRA, Anderson B.; STEDILE, Miguel E. BRICS: Uma alternativa ao imperialismo? Tricontinental, 2023. Disponível em:


DE MELO, Évila M.; ROCHA, Gustavo A.; SOUZA, Ellen G. Soft Power: a mídia hollywoodiana e a transmissão dos valores norte-americanos. Revista de Iniciação Científica em Relações Internacionais, Universidade Federal da Paraíba, Vol.5, No.9, pp. 57-68, janeiro de 2018.


NYE, Joseph S. Soft Power: The Means to Success in World Politics. New York: Public Affairs, 2004.


PRAZERES, Leandro. Expansão do Brics: bloco anuncia 6 novos membros. BBC News Brasil, 2023. Disponível em:


SCHMIDT, Thales. Na ONU, Lula defende Brics e ataca 'paralisia' de organismos internacionais. Brasil de Fato, 2023. Disponível em:


TORTELLA, Tiago. Entenda a Guerra da Ucrânia em 10 pontos. CNN Brasil, 2023. Disponível em:


YAZBEK, Priscila. Qual é o tamanho do novo Brics? Veja em números a dimensão do grupo de 11 países. CNN Brasil, 2023. Disponível em:


35 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page