Filhos dos Massacres


#PraCegoVer [Fotografia]: A fotografia mostra um centro comercial totalmente destruído após um bombardeio. Muitos destroços da construção estão espalhados pelo chão.


O documentário "Filhos dos Massacres" (Mahmoud Kim, 2015), disponibilizado pela Al Jazeera Documentaries em 2015, um canal de documentários e filmes pan-árabes, mostra depoimentos de sobreviventes palestinos de alguns dos inúmeros massacres ocorridos nas décadas de 70, 80 e 90.


Esses depoimentos trazem as tristes vivências pessoais de cada um dos entrevistados, descritas por imagens e situações que sofreram ao longo dos massacres promovidos por exércitos sionistas - movimento político que defende a autodeterminação dos povos judaicos e a criação de um Estado nacional independente onde existiu o antigo Reino de Israel - e que mudaram para sempre as vidas dos que sobreviveram. Abordando principalmente os massacres de Tal Al-Zaatar e Sabra e Chatila, ocorridos na região do Líbano contra refugiados palestinos, eles contam como perderam seus entes queridos e pessoas próximas, além de explicar como funcionavam os cercos.


Para entender melhor o contexto dos massacres, é necessários termos um panorama geral do conflito entre Israel e Palestina. Durante o domínio Britânico na região da Palestina - causado pela dissolução do Império Otomano após sua derrota na Primeira Guerra Mundial, no ano de 1921, culminando em um mandato administrativo dos territórios palestinos delegado à Grã-Bretanha pela Liga das Nações - nas décadas de 20, 30 e 40, milhares de judeus migraram para a região da Palestina por conta do movimento político sionista que crescera ao longo da 1GM. Porém, após o Holocausto no ano de 45 e a criação do Estado Israelense no ano de 48 (após o fim do mandato britânico), a população judaica cresceu exponencialmente na região. Assim, todo o histórico de tensão entre os povos e a ocupação israelense na região culminou na Guerra dos Seis Dias (1967), considerada uma grande derrota ao povo árabe, tendo em vista que toda a superioridade militar de Israel foi convertida em território (Sinai e Cisjordânia). Desse modo, assentamentos israelenses, considerados ilegais pela ONU, foram construídos nas regiões ocupadas. Verdadeiros bairros judaicos protegidos por cercas e pelo exército de Israel acabaram restringindo a liberdade de movimento e desapropriando terras, que pertenciam antes aos habitantes palestinos. Por conta disso, em resposta à imposição de Israel dentro do território palestino, a OLP (Organização para a Libertação da Palestina) lançou diversas operações militares contra as forças armadas israelenses, desencadeando conflitos e massacres para ambos os lados, como a Guerra do Líbano em 1982 e os Massacres Sabra e Chatila (1982) e Tel al-Zaatar (1976), relatados no documentário.


Tel AL-Zaatar (1976)

Refugiados que deixaram a Palestina em 1948 em direção ao Líbano montaram um campo de refugiados para sobrevivência, com uma vida tranquila e simples ao norte de Beirute. Em resposta ao ataque em Damour promovido pela OPL, o exército sionista montou um cerco que durou 52 dias e é considerado como uma das piores páginas da Guerra Civil Libanesa, pois um grande extermínio de civis palestinos aconteceu.


Sabra e Chatila (1982)

As forças israelenses montaram um cerco em Sabra e Chatila, bloqueando a saída de moradores nos campos palestinos de Sabra, localizados no Sul de Beirute. É considerada como uma retaliação ao assassinato do Presidente Bachir Gemayel, que considerava os refugiados como população excedente do Líbano. O massacre foi condenado pela ONU como um ato de genocídio.


É evidente que os diversos conflitos e massacres promovidos desde o início das tensões entre os dois lados da história são problemas persistentes até os dias atuais e estão longe de chegar ao fim, tendo em vista que mesmo com momentos de cessar-fogo entre as partes, basta uma pequena fagulha para reacender a guerra, que demonstra força armamentista muito maior para o Estado de Israel. Isso eleva constantemente o número de mortos e desalojados, principalmente para a população de palestinos, que busca sua legitimidade enquanto Estado da Palestina e a libertação do controle militar de Israel.


Lucas Moreira Pinto

Aluno de Sistemas de Informação (EACH-USP) e bolsista do CineGRI Ciclo 2020/2021


#Gaza #Israel #Palestina #Filme #ConflitoIsraelPalestina


Referências Bibliográficas:


Conflito entre Israel e palestinos: o que está acontecendo e mais 5 perguntas sobre a onda de violência. BBC, 2021. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-57149552 . Acesso em: Seis de Junho de 2021.


ALZOUBI, Ahmad. Filhos dos Massacres. Monitor do Oriente, 2020. Disponível em: https://www.monitordooriente.com/20200915-filhos-dos-massacres/. Acesso em: Vinte de Junho de 2021.


ALFARRA, Jehan. Relembrando a entrega de ‘uma Palestina, completa’. Monitor do Oriente, 2020. Disponível em: https://www.monitordooriente.com/20200630-relembrando-a-entrega-de-uma-palestina-completa/. Acesso em: Vinte de Junho de 2021.


ALTMAN, Max. Hoje na História: 1982 - Massacre nos campos de refugiados palestinos de Sabra e Chatila. Opera Mundi Uol, 2013. Disponível em: https://operamundi.uol.com.br/historia/31231/hoje-na-historia-1982-massacre-nos-campos-de-refugiados-palestinos-de-sabra-e-chatila/. Acesso em: Vinte de Junho de 2021.


Massacre de Tel al-Zaatar. Google Arts and Culture. Disponível em: https://artsandculture.google.com/entity/m09880l?hl=pt/. Acesso em: Vinte de Junho de 2021.






15 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo