Infância perdida pela guerra


#PraCegoVer [FOTO] 4 crianças, de costas, observam uma escavadeira revirando destroços, na cidade de Kobane, Síria.

Imagem disponível em: https://www.dw.com/pt-br/unicef-87-milh%C3%B5es-de-crian%C3%A7as-vivem-em-meio-%C3%A0-guerra/a-19137936#



A ficção nos proporciona uma visão lúdica dos percalços sofridos por crianças e jovens em situação de vulnerabilidade. Diversos são os casos de filmes que retratam seus personagens em buscas desenfreadas por um tipo de luz no fim do túnel, onde seus problemas serão solucionados e suas preces atendidas. Exemplos de tais perspectivas são “Desventuras em Série (2005)”, em que três órfãos são entregues à própria sorte enquanto imersos em uma trama familiar que tem como objetivo roubar a herança dos pequenos e terminar com sua existência. Outra produção que retrata a mesma jornada de perseverança e sofrimento de uma família em busca de salvação é a famosa série “Nanny McPhee - A Babá Encantada”, onde através de um passe de mágica, literalmente, todos os problemas das personagens se resolvem.


Entretanto, na vida real crianças são postas em face do perigo iminente e irremediável com magia ou determinação. Em 2019 cerca de 300 crianças morriam todos os dias em decorrência de consequências socioeconômicas de conflitos bélicos, como fome, falta de auxílio médico, e diversos outros. DW (2019).


Além disso, é importante frisar que, mesmo em situações de adversidades mortais, muitas crianças conseguem passar por essa primeira fase de suas vidas e entram na fase adulta. Ainda que passado por tal período de extrema dificuldade, os sobreviventes terão consequências futuras para suas vidas que serão eternas.


De acordo com Cátia Barros Lisboa (apud fao, 2011; sawaya, 2011) “A subnutrição é definida como uma condição na qual ocorre deficiências de macronutrientes e micronutrientes, resultantes de uma alimentação inadequada e infecções recorrentes, cujas consequências determinam efeitos adversos mensuráveis sobre a anatomia de tecidos ou do organismo (morfologia, dimensão, composição) e sobre a função corporal e a evolução clínica”.


Tais fatores acarretam em populações com baixa expectativa de vida devido a diversos tipos de problemas de saúde e a situação adversa da guerra em que o país se encontra, fazendo com que a pirâmide etária do país tenha uma grande base e um topo pequeno, representando uma “pirâmide jovem”. Indicando que a quantidade de crianças e jovens é muito maior do que adultos e idosos.




#PraCegoVer [IMAGEM] Pirâmide etária jovem do Afeganistão com dados do ano de 2021. População 39 milhões, 835 mil e 428. A imagem é constituída de régua do lado esquerdo representando a faixa etária que vai de 0 a mais de 100 anos e de pirâmide constituída de níveis, onde os níveis mais baixos representam idades menores. A pirâmide representada apresenta base larga que vai se estreitando até o topo, muito estreito. Fonte: <https://population-pyramid.net/pt/pp/afeganist%C3%A3o>.



Em consequência de tais fatores os países são acometidos por consequências ao longo prazo, visto que reduzida expectativa de vida, há também redução de níveis econômicos e sociais, tornando mais difícil a ascensão socioeconômica de populações, dado que a economia da região é afetada por questões relativas ao trabalho e concomitantemente à guerra. Aposentadorias e crédito representam grande parte do poder de compra de um país, fazendo com que a economia se mantenha nos níveis ou que cresça, por meio do uso de crédito para investimentos, o que não acontece em locais onde as populações civis são acometidas pela guerra.

Dessa forma, é possível notar o quanto o fator guerra influencia na estrutura social de um país ao longo de gerações, fazendo com que a miséria e caos seja retroalimentada pela sua própria criação no decorrer do tempo.


De acordo com a UNICEF (2021) “Conflito na Síria, 10 anos depois: 90% das crianças precisam de apoio, já que a violência, a crise econômica e a pandemia de Covid-19 levam as famílias a uma situação limite”.


Outra importante causalidade da guerra é o aliciamento de crianças em situação de vulnerabilidade em países em situação de guerra. Essas crianças são “recrutadas” na maioria das vezes à força por grupos paramilitares que, não obstante o uso da força, também efetuam ameaças contra as famílias, caso os recrutados não tomem posição favorável.


De acordo com Rita Vaneide da Silva Andrade (apud TABAK, 2009) “Assim como na guerra ficcional, Muidinga foi forçado a participar de um ato nefasto, nos conflitos reais as crianças também são expostas a ações de extrema violência. Um exemplo é o caso das crianças soldado da Colômbia, Peru, Moçambique e República Democrática do Congo, que em depoimentos revelam terem sido obrigados a beber o sangue e a comer o coração das vítimas (SINGER, apud, TABAK, 2009, p. 44). Neste caso, a violação da infância, a partir da participação forçada das crianças em atrocidades, serve para alienar e doutrinar os soldados mirins (TABAK, 2009, p. 43).”


Alguns filmes que trabalham a temática:


“First They Killed My Father” (2017)


O filme representa a guerra civil e a subsequente tomada de poder político no Camboja, na década de 70. Temos Loung Ung (Sareum Srey Moch) como personagem principal, uma garota na casa dos dez anos que assiste aos abusos e violências causados por conflitos armados, onde ela passa por situações de fome, miséria e trabalhos forçados.



“Zona Verde” (2010)


O filme se passa no Iraque de 2003, em situação de conflito armado entre o governo vigente e grupos paramilitares. É abordado a questão do aliciamento infantil de populações em situação de vulnerabilidade para participação em grupos paramilitares regionais.



“Diamante de Sangue” (2006)


O tráfico de diamantes na Serra Leoa dos anos 1990 foi um dos fatores que ajudaram a aumentar o caos em que o país já debilitado por uma guerra civil passava. O comércio das pedras representava fonte de lucro para mercenários e contrabandistas, além de servir como financiamento para os grupos paramilitares que tentavam tomar o poder. A situação das crianças no país é retratada de diversas formas. O aliciamento dos menores para grupos paramilitares é feito à força e amplamente. As situações de abusos físicos contra crianças é usada como arma de guerra e a miséria, fome e doença acompanham os refugiados nos abrigos.




“O Menino do Pijama Listrado (2008)”


Dois garotos em idade similar se encontram através de uma cerca. Aparentemente nada os diferencia, porém no contexto da 2º Guerra Mundial um dos garotos é filho de um oficial nazista responsável por um campo de concentração, enquanto o outro menino é um judeu. O filme proporciona uma visão da diferente importância que é dada para a vida e existência de duas crianças iguais, porém diferentes.




#infância #juventude #guerra #economia #cinema




Lucas da Silva

Bacharelado em Administração FEA - USP


Referências Bibliográficas:


Guerras matam centenas de crianças todos os dias, afirma ONG. Disponível em:

https://www.dw.com/pt-br/guerras-matam-centenas-de-crian%C3%A7as-todos-os-dias-afirma-ong/a-47537882. Acesso em 12/10/2021



LISBOA. B; Cátia. SUBNUTRIÇÃO INFANTIL: Acompanhamento de crianças desnutridas em um Centro de Recuperação Nutricional - CREN. Alagoas. UFAL, 2014. Acesso em 12/10/2021




Conflito na Síria, 10 anos depois: 90% das crianças precisam de apoio, já que a violência, a crise econômica e a pandemia de Covid-19 levam as famílias a uma situação limite. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/conflito-na-siria-10-anos-depois-90-por-cento-das-criancas-precisam-de-apoio. Acesso em 12/10/2021



ANDRADE. S. V. Rita. Infâncias fragmentadas: crianças no contexto de guerra, em Terra Sonâmbula, de Mia Couto. Ceará. UNILAB, 2017. Acesso em 12/10/2021





31 visualizações1 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo