O Amapá existe!


#ParaCegoVer [FOTOGRAFIA]: No centro da foto, há uma criança desenhando de cabeça baixa, enquanto ao seu redor duas velas estão acesas (uma delas dentro de uma xícara de vidro azul). No fundo, há um breu e a única iluminação da imagem parte das velas. Fonte: https://www.juruaemtempo.com.br/2020/11/19/moradores-se-viram-com-velas-nao-dormem-e-perdem-eletrodomesticos/


Quem tem medo do escuro? O Amapá inteiro. O estado do Norte brasileiro sobreviveu mais de vinte dias sem energia elétrica - um descaso que se intensifica ainda mais pela situação de pandemia que o mundo vive. A negligência das autoridades brasileiras acarretou não só a revolta aos amapaenses como também o medo: o temor pelos pacientes que estão nas UTIs, maternidade e pediatria. Esse atendimento direto à população, em algum momento, foi suspenso devido à falta de energia porque não há geradores.

O prejuízo financeiro, de saúde e do bem estar não se equiparam ao sentimento de maior perda: o esquecimento. Esse só deixa mais escancarada a vulnerabilidade social das regiões Norte e Nordeste.


Em 2019, Julio Berdegué (representante regional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO)) afirmou que o Nordeste e Norte brasileiro são algumas das regiões mais esquecidas e invisibilizadas da América Latina e Caribe. Esse dado se reitera com a situação do Amapá porque é a comprovação do esquecimento da população local que agora, mais do nunca, sentiu na pele o descaso daqueles que pouco o representam:


"Ficamos na escuridão, só na vela, e a gente tem que se recolher, porque somos obrigadas. Somos obrigadas a desligar tudo, porque a hora em que chega pode queimar os aparelhos e o prejuízo é para a gente. Ninguém faz nada. O povo amapaense está abandonado"

desabafa Rozineide Cardoso, moradora da periferia de Macapá,

em entrevista para o Brasil de fato. [1]


O discurso de moradores mobilizou milhares de pessoas anônimas e famosas nas redes sociais com uso da hashtag #SOSAmapá como meio de denúncia e cobrança. Manifestantes também foram às ruas protestar pela regularização do fornecimento de energia. No entanto, tais protestos não foram suficientes, pois o apagão durou mais de vinte dias, situação inacreditável, tendo em vista que essa calamidade não aconteceria em grandes metrópoles como, por exemplo, São Paulo. E se muito hipoteticamente ocorresse algo assim, mantendo os bairros ricos de São Paulo sem luz, o governo conseguiria o mais rápido possível o restabelecimento.


O documentário "O Acre existe" (Bruno Graziano, Milton Leal, Paulo Silva Jr. e Raoni Gruber, 2014) inicia-se com uma afirmação de um comediante: "Na verdade, não sei se você sabe, mas o Acre existe!". Apesar da fala ser descontraída e carregada de humor, por detrás revela-se um problema muito grande, pois diversos estados das regiões Norte e Nordeste são tratados com esquecimento por uma parcela grande da população brasileira e também pelas políticas públicas, resultando nesse sentido descaso que reitera a fala de Julio Berdegué.



#ParaCegoVer [FOTOGRAFIA]: Uma mulher de máscara segura um cartaz com a seguinte frase: “O Amapá existe! #SOSAmapá” Fonte: https://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2020/11/eletronorte-diz-que-causa-de-novo-apagao-pode-ter-sido-falha-na-distribuicao/


“A dignidade de um país é do tamanho da dignidade daqueles que ele deixa para trás. Como o abandono é consciente, não somos um fracasso por acidente. Somos um projeto de fracasso.”

(Leonardo Sakamoto- colunista) [2]


Diante disso, o questionamento que fica é como o Brasil pode pensar em progresso ignorando os problemas que nem deveriam existir em diversos estados do Brasil. A tragédia anunciada é a comprovação de que o país pouco resolve e muito banaliza. O Amapá resistiu bravamente e deixou para o Brasil uma mensagem muito importante: O Amapá existe!


Pâmela Vitória Nogueira Silva


Graduanda em letras (FFLCH) e bolsista do Projeto CineGRI, ciclo 2020-2021.


#Amapá #SOSAmapá #Apagão #Blecaute #Brasil #Esquecimento


Referências bibliográficas:


[1] BARBOSA, Catarina. Apagão no Amapá completa 15 dias: estado mantém rodízio e periferia amarga prejuízos. Disponível em: <https://www.brasildefato.com.br/2020/11/17/apagao-no-amapa-completa-15-dias-estado-mantem-rodizio-e-periferia-amarga-prejuizos>. Acesso em: 03 de dezembro de 2020.


[2] SAKAMOTO, Leonardo. Com novo apagão no Amapá, Brasil mostra que cidadania é produto de luxo. Disponível em: <https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/11/18/com-novo-apagao-no-amapa-brasil-mostra-que-cidadania-e-produto-de-luxo.htm>. Acesso em: 03 de dezembro de 2020.





75 visualizações0 comentário

eNDEREÇO

Rua do Anfiteatro, 181 -  Colmeias, Favo 7 

Universidade de São Paulo

Butantã, São Paulo/SP

​CEP: 05508-060

aPOIADORES

logo nupri.png

siga o cinegri

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Spotify - Círculo Branco
  • SoundCloud - Círculo Branco