tv cinegri

O CineGRI tem o prazer de apresentar o TV CineGRI!

 

Os vídeos, apresentados pela Marcela Sayuri (Youtube) e Gabriela Oliveira (IGTV) abordam vários filmes com as mais diferentes temáticas e os relacionam com problemáticas ligadas à geopolítica e relações internacionais. 

 

Se inscreva no nosso canal e nos acompanhe também pelo IGTV! Vem discutir com a gente!

igtv - INSTAGRAM

veja abaixo as produções do igtv, basta clicar na imagem e vocÊ será direcionado para a nossa página do instagram. aproveitem!  

Bacurau- Um grito Anti-Imperialista

22 de dez. de 2020

capa2.png

O vídeo Bacurau – Um Grito Anti-Imperialista, publicado em 22 de dezembro de 2020 no Instagram do CineGRI, faz uma análise do filme Bacurau (2019), de Kleber Mendonça, abordando aspectos geopolíticos que tratam das relações de dominação e violência entre países, regiões e/ou povos, normalmente centradas na crença de superioridade econômica, social ou moral.
Ao longo do episódio, é analisada a relação entre Norte e Sul global, que no filme é extrapolada para Norte e Sul brasileiros. A nível global, o Norte detém a hegemonia não apenas política, mas também econômica, subjugando o Sul. A nível brasileiro, ocorre o contrário: o Norte é o local esquecido, enquanto o Sul é o polo tecnológico e desenvolvido. Assim, o mais forte sempre violenta o mais fraco e esse, por sua vez, quando usa violência é na forma de defesa, como ilustrado no filme.
A análise também fala da noção de comunidade, muito presente na cultura nordestina e essencial em Bacurau. É possível perceber o contraste entre os moradores locais, que defendem sua herança cultural, e a forasteira que, representando a imagem do “colonizador” que se considera superior, se recusa a conhecer a cultura do povoado. No episódio, ainda são discutidos assuntos como a dicotomia entre Norte e Sul, a violência como forma de ataque (por parte dos que oprimem) e como forma de defesa (por parte dos oprimidos) e, por fim, as consequências da dominação para os povos que são subjugados, mas que continuam resistindo.

Uma História de amor e fúria- A eterna lutas de classe no Brasil

9 de dez. de 2020

capa2.png

No vídeo Uma História de Amor e Fúria – A Eterna Luta de Classes no Brasil, publicado no dia 9 de dezembro de 2020 no Instagram, o CineGRI apresenta o filme brasileiro Uma História de Amor e Fúria. Dirigido por Luiz Bolognesi e lançado em 2013, o filme foi vencedor do prêmio máximo do Festival de Animação de Annecy e retrata um amor que dura 600 anos entre um herói imortal e sua amada Janaína, cuja relação é marcada por diversos contextos históricos do Brasil.
Ao longo do filme, o espectador pode entender melhor questões ligadas ao genocídio nas terras brasileiras durante o século XV (fruto do colonialismo), ser transportado para a Balaiada ocorrida no Maranhão durante o século XIX, analisar a ditadura militar em 1964 e refletir sobre algumas projeções para um futuro próximo. Essa é uma produção indicada para compreender as relações de poder em uma sociedade marcada por um longo período de opressões e mortes.
Nesse episódio do CineGRI, Marcela conta um pouco sobre o filme e mostra algumas cenas importantes para entender as discussões abordadas na obra. Ela também comenta sobre elementos fundamentais para a construção de um debate apoiado no nosso contexto histórico e deixa uma ótima recomendação para os nossos cinegrers.

Tropa de elite 2 e a milícia #2

30 de out. de 2020

capa2.png

O vídeo Tropa de Elite 2 e a Milícia, publicado no dia 30 de outubro de 2020 no Instagram do CineGRI, fala sobre o crime organizado no Brasil, mais especificamente sobre a atuação das milícias e a sua relação com a política.
Mas o que são as milícias? Segundo Michel Misse, diretor do Núcleo de Estudos em Cidadania, Conflito e Violência Urbana da UFRJ, “São pessoas que de alguma forma têm acesso privilegiado a armas e bons contatos na polícia, o que lhes confere proteção. Eles ocupam uma área sob a justificativa de que proporcionarão a segurança que o Estado não é capaz de fornecer, deixam um grupo armado no local e partem para outras áreas para invadi-las".
Ao longo do vídeo, o CineGRI mostra como esses grupos atuam nas comunidades e nos seus arredores. Por meio da cobrança da proteção oferecida, da oferta de serviços e da coação, as milícias se tornam uma forma fácil de conseguir dinheiro. Para se manterem em atividade, os milicianos desenvolvem uma relação próxima com políticos, policiais e juízes, que em troca recebem uma parte dos lucros. Assim, o esquema todo se mantém e se amplia.
Marielle Franco era uma das pessoas que combatia a atuação das milícias no Rio de Janeiro. Em suas redes sociais, ela se descrevia como “Mulher negra, cria da Maré e defensora dos direitos humanos”. Em 14 de março de 2018, sua vida foi interrompida por um assassinato. Quem mandou matar Marielle? A acusação recai sobre os milicianos que atuam no estado do Rio, os quais (não surpreendentemente) estão ligados a diversos políticos.
Para entender um pouco melhor todos esses tópicos e desvendar o funcionamento das milícias, o CineGRI indica o filme brasileiro Tropa de Elite 2: o Inimigo Agora é Outro (2010), dirigido por José Padilha.

Capitão América e a Geopolítica #1

16 de out. de 2020

capa2.png

O vídeo Capitão América e Geopolítica, publicado em 16 de outubro de 2020 no Instagram do CineGRI, aborda as relações internacionais, a geopolítica e a visibilidade do Capitão América na política norte-americana.
No início do vídeo, é citado o “American way of life” (estilo de vida americano, em tradução livre), o qual era usado como instrumento de propaganda pelo governo dos Estados Unidos. O filme The Truman Show (1998), do diretor Peter Weir, é um exemplo de como essa filosofia de vida pode ser transportada para o cinema. É interessante perceber que a figura do Capitão América se relaciona diretamente com essa discussão, afinal o herói incorpora todos os estereótipos de força e de patriotismo defendidos pelos EUA. Sua figura era, inclusive, usada em cartazes de alistamento militar. Conforme os embates políticos iam mudando, os vilões contra os quais o Capitão América lutava também mudavam. Em ordem, os inimigos foram os nazistas (década de 40), os comunistas (década de 60) e a pobreza e a desigualdade nos Estados Unidos (década de 70).
Portanto, é possível perceber que a indústria cinematográfica não escapa dos jogos de poder e das disputas de narrativa. Em um mundo cada vez mais globalizado, muitos defendem a abertura política, cultural e econômica. De fato, as trocas mundiais trazem muitos benefícios, mas é necessário ter uma visão crítica sobre os acontecimentos e os produtos consumidos. Conta com o CineGRI para te ajudar nesse processo!

Filmes para Discutir o Fanatismo

28 de ago. de 2020

capa2.png

O vídeo “Filmes para discutir o fanatismo”, publicado em 28 de agosto de 2020 no Instagram do CineGRI, aborda temas essenciais como o fanatismo, a intolerância e as suas consequências na vida social.
Esses assuntos são abordados por meio da problemática do nazismo, ideologia de extrema-direita que ganhou força na Alemanha após a Primeira Guerra Mundial. O vídeo nos faz refletir sobre como a obsessão e a paixão irracional por uma determinada visão de mundo contribuíram para a ascensão de Hitler, o fortalecimento do antissemitismo e os massacres dos campos de concentração. Conhecida como O Anjo do Gueto de Varsóvia, Irena Sendler declarou “Mais de meio século se passou desde o inferno do Holocausto, mas seu espectro ainda paira sobre o mundo e não nos deixa esquecer”.
Já que não podemos alterar o passado, devemos pelo menos aprender com ele. É isso que o vídeo propõe ao espectador quando comenta sobre as manifestações do fanatismo no mundo moderno: Fake News, ataques à ciência e preconceito. Todas essas situações disseminam o ódio e a desinformação, favorecendo atitudes extremistas e impensadas.
Esses e outros tópicos fundamentais são abordados por meio do filme Jojo Rabbit, dirigido por Taika Waititi. O IGTV ainda traz outras duas indicações maravilhosas: O Grande Ditador, que tem como diretor (e roteirista e ator) Charlie Chaplin, e Ele Está de Volta, dirigido por David Wnendt.

Filmes para Repensar Racismo e Violência Policial

11 de jun. de 2020

capa2.png


O IGTV “Filmes para Repensar Racismo e Violência Policial”, publicado no dia 11 de junho de 2020 no Instagram do CineGRI, aborda temas fundamentais como o preconceito racial, o papel da polícia e as ondas de protesto contra a impunidade policial ocorridas em 2020, entre as quais está o movimento #vidaspretasimportam.
O vídeo começa relembrando a morte do menino João Pedro, de apenas 14 anos, no dia 18 de maio de 2020, e de George Floyd, o qual foi asfixiado por um policial branco em 25 de abril de 2020 nos EUA. Após esses e outros casos de racismo e impunidade, uma onda de protestos se iniciou nos Estados Unidos e logo atingiu as outras nações, dentre elas o Brasil.
O cinema sempre teve um papel importante na distribuição de informação e, nesse caso, não foi diferente. O IGTV propõe uma reflexão sobre os vestígios do passado escravocrata brasileiro, os quais ainda influenciam a atualidade e estão amplamente relacionados com os eventos citados no início do vídeo. Objetivando questionar o papel da polícia e a aparente igualdade pregada pelas democracias, são indicados o filme O Ódio que Você Semeia (2018), dirigido por George Tillman, Jr., e o documentário Sabotage: Maestro do Canão (2015), dirigido por Ivan 13P.
Além disso, foram citados outros filmes que apresentam uma perspectiva crítica sobre questões raciais, com protagonistas e cineastas pretos. Para enriquecer a discussão, também foram trazidas algumas falas importantes, como a do cantor e compositor Emicida e a do cineasta Jordan Peele – ganhador do Oscar de Melhor Roteiro Original em 2018 pelo filme Corra!

Filmes para a Quarentena

27 de abr. de 2020

capa2.png


O primeiro IGTV “Filmes para a Quarentena”, publicado em 27 de abril de 2020 no Instagram do CineGRI, apresenta como indicação para o período de isolamento social o filme britânico Perfect Sense, produzido em 2011 e dirigido por David Mackenzie. Essa produção cinematográfica retrata um romance vivido por um casal em meio a uma pandemia, onde as pessoas passaram a perder olfato, tato e paladar.
Ainda que não seja a primeira pandemia enfrentada pela humanidade, a experiência com o coronavírus trouxe novos debates para a nossa sociedade. O universo da internet nos possibilitou a troca de mensagens, mas não substituiu o contato físico de que tanto precisamos. Além disso, revelou os problemas psicológicos que estamos enfrentando durante o isolamento social. São novas perguntas e experiências que devem ser discutidas em diferentes lugares.
Pensando nesses novos espaços de interação, o IGTV do CineGRI conta um pouco da trajetória do cinema e deixa uma ótima indicação de filme, a qual permite reflexões profundas sobre o contexto tão atípico dos nossos tempos.