Jovem, Talentosa e Preta - Nina Simone e os Direitos Civis

Atualizado: Abr 6


#PraCegoVer: Foto em escuro e claro da cantora Nina Simone, com a legenda: “I was never non-violent. Never.” (tradução livre: Nunca fui a favor da não violência. Nunca.)

Fonte: https://yellowevershine.com.br/2019/04/01/nina-simone-talento-e-tormento/


Além de ícone da música, Nina Simone foi peça fundamental no movimento pelos direitos civis nos Estados Unidos nas décadas de 50 e 60. No documentário “What Happened, Miss Simone?”, que retrata a vida da artista, percebemos que é impossível falar de sua trajetória sem falar sobre a luta pelos direitos civis. Junto a ícones da luta antirracista, como Dr. Martin Luther King Jr., Lorraine Hansberry e Malcom-X, Nina utilizou sua voz como arma de protesto e denúncia contra a violência policial e do Estado.


No infográfico abaixo, temos alguns dos principais marcos da luta pelos direitos civis das pessoas negras:


Mesmo com a abolição da escravidão nos Estados Unidos, a segregação racial e as leis anti-miscisgenação privavam a população negra o acesso a direitos básicos, como a educação. Em 1955, Rosa Parks foi presa ao se recusar a ceder seu lugar no ônibus para um homem branco, gerando diversos atos e boicotes a empresas de ônibus em todo o país.


#PraCegoVer: Foto em claro e escuro, no canto direito vemos um homem de terno, Martin Luther King Jr., acenando para uma multidão durante a Marcha para Washington. Fonte: https://ceert.org.br/noticias/historia-cultura-arte/25628/eu-tenho-um-sonho-lembre-o-lendario-discurso-de-martin-luther-king


A música Mississippi Goddam, escrita após um atentado em uma igreja que matou 4 crianças negras, se tornou um hino ativista da causa negra. Nina se apresentou em diversos locais e aproveitou sua visibilidade para falar da desigualdade social e racial. Muitas rádios, teatros e canais de televisão recusavam-se a convidá-la temendo que ela falasse de questões raciais.


A Marcha sobre Washington levou milhares de manifestantes para a capital Federal dos Estados Unidos, onde pediam justiça para todos os cidadãos perante a lei e onde o reverendo Dr. Martin Luther King fez o famoso discurso “Eu tenho um sonho”. O assassinato do pastor em 4 de abril de 1968 foi o estopim de diversos protestos e Nina escreveu a música Why? (The King Of Love Is Dead) após a morte de seu amigo.


Assim como diz a música de Baco Exu do Blues: “Eu sou o primeiro ritmo a formar pretos ricos. O primeiro ritmo que tornou pretos livres”, foi através do blues que a pianista clássica não apenas se tornou livre, mas também lutou pela liberdade de seu povo.


Gabriela Bucalo

Bacharel em Geografia, FFLCH-USP.


#NinaSimone #DireitosCivisEUA #MovimentoAntiRacista #MartinLutherKingJR #Racismo


Referências bibliográficas:


Como se deu a luta por direitos civis nos EUA? https://www.iped.com.br/materias/enem-gratis/luta-direitos-civis-eua.html Acesso em: 21 de novembro de 2020.


FERNANDES, Cláudio. Luta pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Disponível em: https://www.preparaenem.com/historia/luta-pelos-direitos-civis-dos-negros-nos-estados-unidos.htm Acesso em: 21 de novembro de 2020.


A Grande Marcha para Washington e a conquista dos diretos civis para os negros nos Estados Unidos https://smabc.org.br/vidasnegrasimportam-a-luta-dos-negros-pelos-direitos-civis-nos-estados-unidos/ Acesso em: 21 de novembro de 2020.


95 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo